Grande Circuito da Abissínia

Grande Circuito da Abissínia

16 Dias / 13 Noites


Desde 3,740 €

+ 499.72 € (Supl. e Taxas)


Itinerário
Itinerário



1º Dia Portugal / Addis Abeba
2º Dia Addis Abeba
3º Dia Addis Abeba / Bahar Dar
4º Dia Bahar Dar / Gondar
5º Dia Gondar / Simien / Gondar
6º Dia Gondar / Axum
7º Dia Axum / Lalibela
8º Dia Lalibela
9º Dia Lalibela / Addis Abeba / Agena
10º Dia Agena / Dorze
11º Dia Dorze / Jinka
12º Dia Jinka / Parque Nacional Mago / Turmi
13º Dia Turmi / Omorate / Turmi
14º Dia Turmi / Konso / Arba Minch
15º Dia Arba Minch / Parque Nacional de Nechisar / Addis Abeba / Portugal
16º Dia Portugal

1º Dia Portugal / Addis Abeba
Comparência no aeroporto, 180 minutos antes da partida. Formalidades de embarque e partida em voo com destino a Addis Abeba, via uma cidade de ligação. Noite a bordo.

 

2º Dia Addis Abeba
Assistência à chegada e transporte ao hotel. Visita da cidade, uma das capitais mais altas do mundo, construída a 2400 metros de altitude. Addis Abeba (“Nova Flor” em amárico, tal como a baptizaram os seus fundadores) é uma cidade agradável e cheia de múltiplas surpresas. Os pontos mais emblemáticos são o bairro de Piazza e o sempre caótico Mesquel Square. Visita às montanhas de Entoto, lugar onde Menelik II se instalou antes de fundar a cidade e de onde se pode admirar toda a dimensão actual da capital. Por fim, visita ao Museu Nacional, onde se podem admirar um dos mais importantes descobrimentos paleontológicos da história. Antes do regresso ao hotel, passagem por uma igreja cristã ortodoxa. Alojamento.

 

3º Dia Addis Abeba / Bahar Dar
Após o pequeno-almoço, transporte ao aeroporto e partida para Bahar Dar. Assistência à chegada e saída para conhecer um dos Mosteiros do lago Tana, que contabiliza mais de 20, e que permaneceram no anonimato aos estrangeiros até 1930. Vários possuem uma magnífica decoração e escondem verdadeiros tesouros, estando carregados de lendas e mistério. Saída em pequeno ferry para visita ao lago Tana, o maior lago da Etiópia com 3673 quilómetros quadrados, navegando até à península de Zege com visita à igreja de Ura Kidane Mehret. Segue-se, visita ao templo de Azuwa Maryam. À tarde, visita às famosas cataratas do Nilo Azul, uma impressionante queda de água com 45 metros de altura conhecido como Tis Abay (água fumegante), incluindo uma caminhada que cruza o rio Nilo pela “Ponte dos Portugueses”, de forma a aceder às cataratas. Alojamento.

 

4º Dia Bahar Dar / Gondar
Após o pequeno-almoço, partida para Gondar, cidade fundada pelo imperador Fasiladas, segunda capital do império Axumita e um grande centro de referência entre os séculos XVII e XVIII. É aqui que se encontra um dos primeiros castelos que se conhecem na história de África (Fasil Ghebbi). O recinto central está rodeado de altos muros de pedra com uma área de 70 mil metros quadrados e englobam um total de 6 castelos, um complexo de túneis interligados e passagens elevadas com outros edifícios de menor tamanho. Conhecido como o “Camelot de África”, este complexo real também inclui capelas, salão de banquetes, cavalariças e até jaula de leões. Em seguida, visita à piscina do rei Fasiladas, datada do século XVI e com 2800 metros quadrados. Os banhos do fundador de Gondar estão cercados por um muro de pedra com 6 torres e ligados a um edifício de 2 pisos que consta ter sido a segunda residência do monarca. Por fim, visita ao mosteiro de Debre Birhan Selassie, que, segundo a lenda, foi o único que se salvou da destruição provocada por uma “intervenção divina de um enxame de abelhas”. O principal interesse turístico da igreja são as suas pinturas interiores como no tecto, composto por 80 caritas angelicais ou a aterradora pintura da representação do demónio rodeado de chamas. Alojamento.

 

5º Dia Gondar / Simien / Gondar
Após o pequeno-almoço, partida para visitar as montanhas Simien, passando por Debark. Na visita ao Parque Nacional e passando ao longo das paredes escarpadas podem avistar-se os babuínos Geladas, uma espécie de macacos endémica da Etiópia e que vivem em grupos. O nome significa “coração sangrante” em amárico e resulta destes macacos terem uma pele vermelha e sem pelo no peito e garganta. Possibilidade de avistar outros animais como o Ibex de Wallia e o Lobo etíope. Regresso a Gondar e alojamento.

 

6º Dia Gondar / Axum
Após o pequeno-almoço, transporte ao aeroporto e partida de avião para Axum, a histórica cidade do Tigray. Capital do poderoso império Axumita, a cidade de Axum é considerada a casa espiritual do cristianismo ortodoxo etíope, contando com uma grande quantidade de antiguidades e magníficos mercados. Visita ao museu de Axum, a catedral de Tsion Maryam, Mai Shum, o parque do rei Exana e o túmulo do rei Basen. A principal atracção é, no entanto, o campo repleto de estelas e obeliscos monolíticos, alguns com mais de 20 metros de altura. Aqui encontra-se o maior monumento monolítico do mundo, com 33 metros de altura e mais de 600 toneladas. Axum foi onde teve origem a fabulosa lenda da rainha de Saba. Alojamento.

 

7º Dia Axum / Lalibela
Após o pequeno-almoço, transporte ao aeroporto e partida de avião para a magica cidade de Lalibela. Chegada e partida para visita pela cidade, com paragem na Igreja Nakute La’ab, construída ao redor de uma caverna um pouco profunda com vários lagos alimentados por fontes naturais. O templo esconde vários tesouros como quadros, uma bíblia em couro e várias pinturas. Em seguida, visita às igrejas escavadas na rocha, nesta cidade que é conhecida como Jerusalém africana e declarado património mundial da Unesco em 1979 e o principal local de peregrinação dos cristãos ortodoxos. Visita ao primeiro grupo de igrejas, com destaque para a igreja de Medhanialem (São Salvador) que é uma das maiores e impressionantes, com umas colunatas externas que adornam os laterais e, em seguida, visita à igreja de Bete Mariam. Trata-se duma pequena igreja onde se encontram as pinturas interiores muito bem conservadas e possui uma curiosa estrutura formada por dois pisos. As igrejas de Lalibela, ao estarem debaixo de terra, comunicam-se por tuneis, que sem dúvida são uma das principais atrações para os turistas. A cidade situada a 2630 metros de altitude, está considerada uma das maravilhas do mundo, não só pelas suas igrejas como pelo encanto das suas ruelas. Alojamento.

 

8º Dia Lalibela
De manhã cedo, e caso seja domingo, possibilidade de assistir a cerimónias dominicais. De seguida, visita à Igreja Yemrehanna Kristos, uma igreja construída dentro de uma caverna com estratos alternados de pedra e madeira, localizada a 30 km da cidade. De tarde, visita ao segundo grupo de igrejas, com destaque para as igrejas de Gabriel – Rafael, Amanuel e a de Abba Libanos. Por fim, visita à igreja de Bete Giorgis, famosíssima pela sua planta em forma de cruz e por um interior de reduzidas dimensões onde ressalta uma cúpula que não é percetível desde o exterior. É provavelmente a igreja monolítica mais espectacular de todas. Alojamento.

 

9º Dia Lalibela / Addis Abeba / Agena
Após o pequeno-almoço, transporte ao aeroporto e partida de avião para Addis Abeba e em seguida partida de carro para sul, até Agena, coração do território Gurage. Trata-se dum lugar mágico e pouco visitado, onde é possível visitar algumas aldeias tradicionais. Alojamento.

 

10º Dia Agena / Dorze
Após o pequeno-almoço, início da viagem até Dorze, deixando as aldeias Gurage nas montanhas e descendo ao vale do Rift. Pelo caminho, oportunidade para observar a paisagem rural, atravessando zonas de cultivo de teff, um cereal básico na gastronomia etíope, utilizado para a confecção de injera (pão tradicional etíope). Paragem em Alaba Kulito, onde se poderão visitar algumas casas tradicionais com os seus coloridos murais. Continuação até às aldeias da etnia Dorze, por uma estrada que, à medida que sobe, proporciona vistas incríveis sobre o Parque Nacional de Nechisar. Os Dorze são conhecidos pelas suas casas de cana de bambu com cúpulas de até 6 metros de altura e também pelas suas túnicas coloridas e com desenhos geométricos. Este povo, á semelhança dos pigmeus, tem uma música polifónica chamada “edho” que normalmente cantam durante a Epifania. Possibilidade de visitar alguns mercados tradicionais. Alojamento.
 
11º Dia Dorze / Jinka
Após o pequeno-almoço, partida para Jinka, considerada a capital administrativa do Omo, onde se encontra um importante mercado diário, ponto de encontro de algumas das etnias da região. Visita ao Museu de Jinka, um centro de investigação das tribos de Omo Sur, que está localizado estrategicamente numa colina com grandes vistas panorâmicas sobre a cidade. Alojamento.

 

12º Dia Jinka / Parque Nacional Mago / Turmi
Após o pequeno-almoço, partida para o Parque Nacional Mago, com uma superfície de 2162 km², onde é possível encontrar até 56 espécies de mamíferos. Visita à etnia mais conhecida do Parque, os Mursi, conhecidos pelos pratos labiais usados pelas mulheres. Trata-se duma tradição que hoje em dia ainda se mantém e em que as mulheres na adolescência fazem uma inserção no lábio inferior e que pouco a pouco vão aumentando, funcionando como um símbolo de beleza. Regresso a Jinka, parando no mercado de Key Afar, um dos mais coloridos do vale de Omo. À tarde partida para Turmi, capital da etnia Hamer, uma tribo com costumes ancestrais, com idioma, religião e crenças próprias, mas muito hospitaleiros, com rituais únicos de entre os quais se destacam o Ukuli Buli, a entrega do Boko e a dança Evangadi. Alojamento.

 

13º Dia Turmi / Omorate / Turmi
Após o pequeno-almoço, partida para sul até Omorate, para uma visita ao povoado de Dassanetch, nas margens do rio Omo. Esta etnia forma uma sociedade patriarcal, onde a autoridade recai sobre um grupo de anciãos, denominados Ara. Um dos detalhes mais surpreendentes deste povo são os penteados masculinos, que vão desde o rapado até aos sofisticados penteados com terra e que assinalam a idade adulta e o reconhecimento social. Após visita a algumas aldeias, regresso a Turmi e alojamento.

 

14º Dia Turmi / Konso / Arba Minch
Após o pequeno-almoço, saída até Konso, cujas aldeias são autênticos labirintos fortaleza, para proteção dos ataques das etnias vizinhas. Estão situadas no alto de colinas basálticas com vistas sobre os terraços de cultivo em redor. Os Konso continuam a praticar o animismo apesar da influência religiosa externa. A manifestação mais visível do culto aos antepassados deste povo, são os Waga, umas estátuas em madeira associados ao culto dos defuntos. Em 2011, a paisagem cultural de Konso foi considerada pela Unesco, património da humanidade. Continuação da viagem até Arba Minch.

 

15º Dia Arba Minch / Parque Nacional de Nechisar / Addis Abeba / Portugal
Após o pequeno-almoço, passeio de barco no lago Chamo, situado no coração do Parque Nacional de Nechisar. Num peculiar safari é possível desfrutar da extensa fauna e também da actividade dos pescadores autóctones da etnia Gamo, que continuam a usar métodos ancestrais. Será possível ver hipopótamos, crocodilos e diferentes espécies de aves. Em seguida, transporte ao aeroporto e partida para Addis Abeba. Tempo livre para passar na movimentada Churchill Avenue até à hora do transfer para o aeroporto. Formalidades de embarque e partida em voo de regresso a Portugal. Noite a bordo.

 

16º Dia Portugal
Chegada e fim da viagem.
 



Inclui no Preço Base

  • Passagem aérea em classe económica, de acordo com o itinerário
  • Transporte do Aeroporto ao Hotel e Vice-versa
  • Alojamento nos hotéis referidos ou similares em regime de pequeno-almoço
  • 14 Almoços e 14 Jantares 
  • Visitas em regular, mencionadas no itinerário e com guia em inglês ou espanhol
  • Taxas hoteleiras e Iva
  • Assistência 24 horas em caso de emergência
  • Seguro Multiviagens
     

Não Inclui no Preço Base

  • Extras de carácter pessoal
  • Visitas opcionais
  • Bebidas às refeições
  • Taxas de Aeroporto, segurança e combustível
  • Visto da Etiópia (obtido online ou à chegada pelo valor de 52 Usd)